Quarta, 07 de Dezembro de 2022
23°

Pancada de chuva

Plácido de Castro - AC

Geral Acre

Governo do Acre pede intervenção da Força Nacional em bloqueios da BR-364 para evitar desabastecimento

O governo do Acre encaminhou, no fim da tarde de terça-feira, 22, um ofício ao Ministério da Justiça (MJ) e à Secretaria Nacional de Segurança Públ...

23/11/2022 às 11h10 Atualizada em 23/11/2022 às 11h28
Por: Redação Fonte: Secom Acre
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Acre
Foto: Reprodução/Secom Acre

O governo do Acre encaminhou, no fim da tarde de terça-feira, 22, um ofício ao Ministério da Justiça (MJ) e à Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), referente ao desabastecimento causado pelos bloqueios nas rodovias federais que dão acesso ao estado.

No documento, o governador Gladson Cameli ressalta a possibilidade do desabastecimento de água no estado já a partir do dia 28 de novembro, por falta de produtos químicos essenciais para a purificação e tratamento de água.

Ainda na na tarde de ontem, a Polícia Rodoviária Federal reportou que os entraves na BR-364, em Rondônia, não existem mais, contudo dois pontos ativos de bloqueios mesma rodovia, em Mato Grosso, impossibilitam a chegada de carregamentos até Rondônia e, consequentemente, ao Acre: no km 1.025, em Sazepal, e no km 1.076, em Campos de Júlio.

Cameli pede ao ministro da Justiça, Anderson Gustavo Torres, e ao secretário nacional de Segurança Pública, Carlos Renato Paim, o envio da Força Nacional para desobstruir as vias e viabilizar a normalização do tráfego de veículos até o Acre.

Além disso, um relatório do Corpo de Bombeiros do Estado do Acre (CBMAC) reportou a possibilidade de paralização das atividades do órgão por desabastecimento das viaturas oficiais de atendimento, caminhões e viaturas, e também da frota de ônibus do transporte público, até o dia 24 de novembro, se não houver a regularização da chegada dos caminhões de abastecimento.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio), em documento, prevê a possibilidade de que alimentos perecíveis e não perecíveis que fazem parte da cesta básica comecem sofrer desabastecimento entre os dias 26 e 27 de novembro, além do risco de que produtos hospitalares, como medicamentos e oxigênio, também possam entrar em falta se persistir o bloqueio.

A Associação Comercial, Industrial, de Serviço e Agrícola do Acre (Acisa) também enviou um relatório ao governo do Acre, em que informa que as empresas associadas não conseguem contratar transportadoras ou transportadores autônomos para abastecimento do Acre, e pediu ao Estado a avaliação da realização de decreto de estado de calamidade pública ou de emergência. O documento também informa o fim dos estoques do gás de cozinha já nesta quinta-feira, dia 23 de novembro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.