Quinta, 20 de Junho de 2024
22°C 35°C
Plácido de Castro, AC
Publicidade

A opinião de Digão sobre as causas da morte do saudoso Chorão do Charlie Brown Jr

No dia 06 de março de 2024, marcou-se 11 anos desde a morte de Alexandre Magno Abrão, mais conhecido como Chorão, o vocalista da banda Charlie Brown Jr. Nascido em Tremembé e vivendo grande parte da vida em Santos, São Paulo, Chorão é considerado um dos nomes mais significativos do rock nacional.

10/06/2024 às 16h11
Por: Informativo Plácido Fonte: Whiplash
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Google Imagens
Foto: Reprodução/Google Imagens

O vocalista e guitarrista Digão, do Raimundos, participou do podcast Guarda Volume e na ocasião comentou sobre como a vida de turnês – repleta de altos e baixos e muitas vezes drogas – pode ter afetado o saudoso Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr, que morreu em decorrência das drogas em 2013.

"Quando o Chorão estava bem, ele era uma das pessoas mais legais, mas quando estava mal, ele se transformava. Infelizmente, foi assim quando ele estava mal a última vez que o vi vivo. Tive muitos momentos bons com ele. Postei vídeos com ele que o pessoal da página do Charlie Brown Jr. compartilhou. Ele apareceu na pousada onde eu passava férias em Floripa, que tem uma pista de skate e é dos meus amigos de Brasília. Chorão estava lá, tocou comigo, e foi um dia maravilhoso.

Mas ele tinha altos e baixos. Acelerava e freava, tomava remédios para dormir. Isso é perigoso para o corpo. Ouvi dizer que o Taylor Hawkins também tinha problemas assim. Por isso, agradeço nunca ter me envolvido com drogas pesadas. Fumei maconha dos 16 aos 33 anos, mas nunca em excesso. Chegou um ponto em que começou a me prejudicar e eu parei.

Nunca me envolvi com drogas pesadas. Já tomei ácido e bala, mas não era minha praia. Sempre gostei de estar de cara limpa. Vi uma entrevista do Chorão dizendo que ele entrava em depressão após shows, porque não conseguia manter a euforia depois de se isolar no quarto do hotel.

Entendo a dificuldade. Quando chego de um show, demoro a dormir por causa da adrenalina. É difícil lidar com a solidão depois da euforia. Mas é preciso estar preparado para isso se você quer uma carreira longa. A cocaína cobra um preço alto. Ela corrói por dentro, acaba com o coração. Lembrar que somos frágeis é importante. Temos que cuidar do corpo e da mente. Eu gosto de viver, amo minha família e acredito em Deus. Nada disso exclui o fato de eu cantar no Raimundos. O importante é não ter maldade nas palavras, não ofender ou prejudicar ninguém".

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Música & Cultura
Sobre o blog/coluna
Coluna feita para pessoas que respiram música 24h por dia.
“Sem a música, a vida seria um erro” (Friedrich Nietzsche)
Ver notícias
Plácido de Castro, AC
22°
Tempo nublado

Mín. 22° Máx. 35°

23° Sensação
0.6km/h Vento
89% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
07h44 Nascer do sol
07h15 Pôr do sol
Sex 36° 22°
Sáb 37° 24°
Dom 37° 22°
Seg 37° 26°
Ter 36° 25°
Atualizado às 03h05
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,45 +0,00%
Euro
R$ 5,86 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,36%
Bitcoin
R$ 379,461,00 +0,98%
Ibovespa
120,261,34 pts 0.53%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade