Sábado, 01 de Outubro de 2022
23°

Poucas nuvens

Plácido de Castro - AC

Polícia Foragido achado

Após mais de 2 anos foragido, detento que escapou de presídio no AC durante fuga em massa é encontrado em SP

Dheyci de Angelo Lima e Lima está preso em uma unidade prisional de São Paulo por roubo e uso de documentos falsos. Ele fugiu com outros 25 presos do Complexo Prisional de Rio Branco no dia 20 de janeiro de 2020.

23/09/2022 às 08h27
Por: Agência Plácido Fonte: G1/Ac
Compartilhe:
Dheyci Angelo de Lima está preso em uma unidade prisional de São Paulo por roubo e uso de documentos falsos — Foto: Arquivo/Iapen
Dheyci Angelo de Lima está preso em uma unidade prisional de São Paulo por roubo e uso de documentos falsos — Foto: Arquivo/Iapen

Após mais de dois anos da fuga em massa no Complexo Penitenciário de Rio Branco, antigo Complexo Francisco d'Oliveira Conde (FOC), a Polícia Civil do Acre conseguiu capturar o único preso que seguia foragido. Dheyci de Angelo Lima e Lima foi encontrado preso em uma unidade prisional de São Paulo.

A informação foi divulgada pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (22). A polícia acreana descobriu que Lima está detido no estado paulista por roubo e uso de documentos falsos.

Os policiais do Acre acharam o foragido após compartilharem informações com as equipes de São Paulo para cumprirem um mandado judicial expedido contra o foragido. As investigações são da Delegacia de Repressão a Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Fuga em massa

Os detentos fugiram do pavilhão L, onde cumpriam pena em regime fechado, no dia 20 de janeiro de 2020. A fuga ocorreu após um fim de semana violento com sete execuções na capital acreana. Um vídeo mostra o momento exato em que os 26 presos escalaram o muro e deixaram a unidade.

Na época, 26 presos escaparam por um buraco aberto na parede de uma cela do pavilhão. Depois, eles usaram cordas improvisadas com lençóis para escalar o muro da unidade prisional.

Logo após a fuga, o secretário de Segurança Pública em exercício da época, Ricardo dos Santos, não descartou uma possível ligação entre a fuga em massa na unidade prisional e o caso dos 76 detentos que fugiram de um presídio no Paraguai, no dia 19 de janeiro daquele ano.

Ao todo, foram abertas três investigações para apurar como se deu a fuga: uma do Ministério Público Estadual (MP-AC), uma do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) e a da Polícia Civil.

 

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.