Sábado, 01 de Outubro de 2022
23°

Poucas nuvens

Plácido de Castro - AC

Economia Auxílio Brasil

Consignado do Auxílio Brasil não será liberado? Veja os impasses

Poucos bancos demonstraram interesse na modalidade e o governo ainda não definiu o teto de juros. Veja todos os impasses do consignado do Auxílio Brasil.

23/09/2022 às 13h38
Por: Agência Plácido Fonte: Edital Concursos Brasil
Compartilhe:
Foto Reprodução/Google Imagens
Foto Reprodução/Google Imagens

As críticas feitas por economistas sobre o risco de endividamento das famílias e outras barreiras ainda maiores têm impedido a liberação do empréstimo consignado do Auxílio Brasil. Com os impasses, ao que tudo indica o serviço não ficará disponível antes das eleições, como era a previsão do governo. Pelo menos não para o primeiro turno.

A nova modalidade de financiamento enfrenta dificuldades também no setor bancário. Grandes bancos privados não têm demonstrado interesse no serviço. A possibilidade do empréstimo consignado foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em 4 de agosto, por meio da Lei 14.431.

Consignado do Auxílio Brasil enfrenta impasses

Inicialmente o governo acreditava que a modalidade de crédito fosse regulamentada mais rápido. A intenção era que a liberação acontecesse antes de 2 de outubro, dia do primeiro turno das eleições 2022.

Pelo consignado, cada família poderia contar com R$ 2.056. O cálculo considera 40% do valor do benefício padrão, que é de R$ 400. O atual valor de R$ 600 valerá somente até dezembro deste ano.

Entre os impasses para o consignado do Auxílio Brasil está a falta de acordo no governo para definir o teto de juros. Outra grande barreira é a crítica feita por economistas. Eles apontam o risco de endividamento das famílias, além do lucro dos bancos sob a parcela mais pobre da população.

Por essas razões, os grandes bancos privados ainda não demonstraram interesse no consignado do Auxílio Brasil. Por outro lado, os que fizeram o pré-cadastro estão com juros anuais altíssimos. Cerca de 80%.

A preocupação dos bancos é com o risco de não pagamento. Isso porque, na lei, o governo deixa claro que não será o fiador dos recursos. Logo, se a família deixa de receber o benefício, o banco tem alto risco de calote.

O Ministério da Cidadania faz uma força-tarefa na tentativa de liberar o quanto antes o consignado do Auxílio Brasil. A tentativa é por meio da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). Se o resultado for positivo para o governo, a liberação deve acontecer ainda na primeira quinzena de outubro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.