Sábado, 01 de Outubro de 2022
24°

Poucas nuvens

Plácido de Castro - AC

Política Fatos primeiro

Fatos Primeiro: fala de Bolsonaro sobre melhora da economia precisa de contexto

A alta no número de empregos e a redução da inflação citadas pelo presidente foram registradas após recordes negativos em seu governo

23/09/2022 às 16h04
Por: Agência Plácido Fonte: CNN Brasil
Compartilhe:
Bolsonaro participa de sabatina em Brasília 30/08/2022 | REUTERS/Adriano Machado
Bolsonaro participa de sabatina em Brasília 30/08/2022 | REUTERS/Adriano Machado

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou na terça-feira (20) que o Brasil passa por uma alta no número de empregos, uma redução da inflação e um crescimento do PIB. A declaração foi dada durante discurso na Assembleia Geral da ONU.

O que Bolsonaro disse

“Apesar da crise mundial, o Brasil chegou no final de [20]22 com a economia em plena recuperação. Temos emprego em alta e inflação em baixa. A economia voltou a crescer.”

Emprego

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), promovida trimestralmente pelo IBGE, revela uma taxa de desocupação de 9,3% no 2º trimestre de 2022, o que equivale a 10,1 milhões de pessoas pelo Brasil.

No mesmo período do ano anterior, a taxa era de 14,2%, o que confirma a fala do presidente.

Apesar da melhora nos últimos 12 meses, o Brasil registrou durante o governo Bolsonaro a maior taxa de desocupação desde 2012, quando o IBGE começou a compilar os dados, com 14,9%. O patamar foi atingido entre julho e setembro de 2020, diante da pandemia de Covid-19.

Inflação

Em julho, o IPCA recuou 0,68%, o que não ocorria há mais de dois anos. Em agosto, houve uma diminuição de 0,36% no índice. O acumulado de 12 meses é de 8,73%. Os resultados positivos vêm após um recorde de inflação, registado em abril deste ano, de 12,13%.

Crescimento da economia

Sobre os números do PIB, Bolsonaro acerta ao dizer que a economia voltou a crescer. No segundo trimestre de 2022, houve um crescimento de 1,2% em comparação aos três meses anteriores. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a alta foi de 3,2%.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.