Quarta, 06 de Julho de 2022
27°

Poucas nuvens

Plácido de Castro - AC

Saúde Acre

No Juruá, Estado capacita profissionais de saúde no manejo clínico de casos suspeitos e confirmados da varíola dos macacos

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), realizou na noite desta quarta-feira, 23, uma capacitação sobre o manejo cl...

23/06/2022 às 11h25 Atualizada em 23/06/2022 às 11h47
Por: Agência Plácido Fonte: Secom Acre
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Acre
Foto: Reprodução/Secom Acre

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), realizou na noite desta quarta-feira, 23, uma capacitação sobre o manejo clínico de casos confirmados e suspeitos da varíola dos macacos, também conhecida pormonkeypox, para profissionais da rede hospitalar em toda a regional do Juruá. O encontro se deu no Centro de Educação Permanente (Cedup) de Cruzeiro do Sul.

“Parte das orientações dadas sobre a covid-19 serão aproveitadas, apenas faremos reforços como precaução de contato, uma vez que se trata de uma doença em que o contágio está ligado à secreção do paciente. Com a rede organizada, o acometido terá assistência mais rápida, o que permite minimizar seu contato com outros pacientes na unidade de saúde, reduzindo a possibilidade de outras infecções”, explica a infectologista e ministrante da capacitação, Rita de Cássia Lima.

Ação se deu na noite desta quarta-feira, 22. Foto: Marcos Santos/Secom
Ação se deu na noite desta quarta-feira, 22. Foto: Marcos Santos/Secom

Na pauta, o quadro epidemiológico da doença no estado, seus sinais e sintomas, os procedimentos em relação à paramentação e o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além de orientações a serem repassadas a pacientes em isolamento domiciliar e procedimentos a serem adotados em caso de agravo clínico da pessoa acometida pela doença.

Um dos objetivos da Sesacre é evitar a propagação da doença. Foto: Marcos Santos/Secom
Um dos objetivos da Sesacre é evitar a propagação da doença. Foto: Marcos Santos/Secom

“A partir do momento em que foi detectado o primeiro caso suspeito demonkeypox, a Sesacre vem realizando trabalhos preventivos. A ideia é preparar todos para receber possíveis acometidos. Trata-se de mais um importante trabalho da gestão, que tem tratado a saúde como prioridade”, ratificou Karina Valesca Lima, coordenadora interina da Sesacre.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.