Quarta, 06 de Julho de 2022
24°

Poucas nuvens

Plácido de Castro - AC

Entretenimento Rock Brasil

A fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

O RPM marcou a história do rock nacional e é famosa até os dias de hoje não só por hits como "Rádio Pirata" e "Alvorada Voraz", mas por ter sido uma das bandas que mais vendeu discos na história do país.

21/05/2022 às 15h56 Atualizada em 21/05/2022 às 16h05
Por: Agência Plácido Fonte: Whiplash
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em entrevista recuperada pelo Podcortes Retrô concedida na década de 1990, Paulo Ricardo explicou os motivos que levaram o RPM a acabar na época. Segundo o músico, tudo estava bem com a banda, que passava por uma excelente fase.

"Nós tínhamos um determinado plano. O rock do Brasil quando começamos era para poucas pessoas. Não era algo popular. A ideia era em 10 anos vender 100 mil cópias. Em 2 anos, vendemos mais de 3 milhões. Isso tudo acelerou um processo que teria uma determinada velocidade. O nosso disco ao vivo foi o estouro pirata de ‘London, London’. Não havia plano de gravar, mas estourou. Então, tínhamos músicas novas, aí gravamos. Era tipo US$ 1 por cópia vendida que ficava de royalties para o conjunto. Ficou vendendo bem por 1 ano", disse.

O problema começou justamente por causa desse sucesso, que levou cada integrante a sentir confiança de voar com suas próprias asas. Para Paulo Ricardo, a diferença fundamental entre ele e o tecladista Luiz Schiavon no que diz respeito ao direcionamento musical da banda levou o grupo ao fim na ocasião.

"O que aconteceu foi que cada um de nós se sentiu muito seguro. Todos se garantindo muito. O nosso ex-baterista P. A. resolveu cantar. O Luiz Schiavon queria levar para um lado tecno, com uma música menos natural e rock. Nesse momento de decisão, houve esse racha. Eu e o Nando queríamos guitarras, o Schiavon queria algo mais frio. Acho que existiu um projeto, e naquele momento, todos concordavam. A partir daí, o grupo precisava evoluir. Eu e o Nando queríamos algo mais pesado, com o teclado com mais swing, meio blues. Ao invés do tecno pop que marcou os anos 1980. O Luiz, como tecladista, se sentiu diminuído. Aí, aconteceu um racha", concluiu.

Abaixo você confire o show ao vivo da banda RPM, gravado pela MTV no ano de 2002:

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Música & Cultura
Música & Cultura
Sobre Coluna feita para pessoas que respiram música 24h por dia. “Sem a música, a vida seria um erro” (Friedrich Nietzsche)
Plácido de Castro - AC Atualizado às 09h30 - Fonte: ClimaTempo
24°
Poucas nuvens

Mín. 20° Máx. 32°

Qui 32°C 20°C
Sex 33°C 19°C
Sáb 32°C 20°C
Dom 32°C 21°C
Seg 32°C 19°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes